Concurso Correios: Federação cobra concurso do novo ministro

Concurso Correios: Federação cobra concurso do novo ministro

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) já se reuniu nos últimos dias com o novo ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, e com o ex-deputado federal Guilherme Campos, escolhido para assumir a presidência dos Correios. Os encontros serviram para a entidade apresentar as demandas da categoria, entre elas a realização de concurso urgente. A estatal aguarda as diretrizes do governo do presidente interino, Michel Temer, com relação ao concurso da estatal, suspenso temporariamente no ano passado.

O presidente da Findect, José Aparecido Gandara, explicou que, nesse primeiro momento, os dois apenas ouviram as reivindicações apresentadas sem se manifestarem a respeito. Ainda segundo ele, o ministro Kassab orientou que a categoria aguardassem para negociar diretamente com o novo presidente da empresa, após a sua confirmação no cargo. Gandara destacou também que a entidade deixou claro o seu posicionamento contrário a qualquer tentativa de privatização da empresa e lembrou a atuação da classe artística, que reverteu a extinção do Ministério da Cultura. “Também não vamos abaixar a cabeça”, ressaltou.
Publicidade

A seleção anunciada para o ano passado pelos Correios seria para 2 mil vagas e formação de cadastro de reserva de agente de Correios, de nível médio, nas atividades de carteiro (remuneração de pelo menos R$2.885,37, incluindo benefícios e adicionais) e operador de triagem e transbordo (R$2.348,87). As oportunidades seriam distribuídas por Rio de Janeiro (144 vagas de carteiro), São Paulo, Minas Gerais, Amazonas, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, além do Distrito Federal. Após a suspensão, no entanto, a empresa teve que reavaliar os estudos relacionados ao quantitativo de vagas a serem preenchidas, bem como a necessidade de força de trabalho em cada localidade.

Conforme informações a seleção seria feita por meio de provas objetivas, teste de esforço físico e exame médico admissional. A avaliação de múltipla escolha compreenderia 50 questões, sobre Português, Matemática e Conhecimentos Gerais (no lugar de Informática).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.