Receita Federal reenvia pedido para 4.000 vagas

A Receita Federal do Brasil (RFB) solicitou oportunidades para analista-tributário e auditor-fiscal. Ambos os cargos exigem nível superior

A Receita Federal do Brasil (RFB) reenviou pedido de concurso ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), segundo informou o Sindicato Nacional dos Servidores Administrativos do Ministério ad Fazenda (Sindfazenda).
O pedido solicita a autorização de 4.000 vagas, sendo 2.500 chances para analista tributário e 1.500 para auditor fiscal.
Os postos de auditor-fiscal e analista-tributário aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas. Consta na atual tabela de remuneração dos servidores federais que os salários oferecidos correspondem a R$ 16.201,64 e R$ R$ 9.710,42, respectivamente, já incluindo o auxílio-alimentação no valor de R$ 458.

Defasagem de profissionais

Consta no site da Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) que o coordenador-geral do Cogep da RFB, Francisco Lessa Ribeiro, informou que a instituição possui 24.000 servidores, entre auditores, analistas e profissionais administrativos. “O órgão opera com 49% do limite de sua ocupação, sendo que tem um quadro autorizado de 20.000 auditores-fiscais e de 16.000 analistas-tributários”, enfatizou o coordenador.

Além disso, o Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil) já sinalizou que a RFB apresenta uma quantidade insuficiente de profissionais, o que pode acarretar em acúmulo de trabalho e, consequentemente, em queda de produtividade
Sílvia de Alencar, presidente do Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), apresentou mais números para mostrar a importância da realização do concurso. De acordo com Sílvia, a Receita Federal conta apenas com 40% dos analistas-tributários que necessita, o que gera graves problemas em todas as unidades do órgão.
Já para o cargo de auditor-fiscal há um quadro com 10.500 funcionários. Mas, desde 2002, a Receita registra uma média de 600 aposentadorias por ano na carreira de auditor. Entre 2009 e 2014, 3.246 servidores deixaram de trabalhar no órgão e, por meio de concurso, entraram somente 1.204, ou seja, um déficit de 2.042 auditores no período.

Prepare-se para o concurso da Receita Federal

O JC Concursos selecionou materiais preparatórios atualizados e de qualidade, através dos links abaixo, de fornecedores experientes e com índices de aprovação, para garantir o seu melhor investimento para o concurso público da Receita Federal.

Sobre o pedido de concurso da Receita Federal

Anteriormente, em 2015, a RFB pediu ao Ministério Planejamento um total de 5.000 oportunidades, sendo 2.000 são para auditor-fiscal e 3.000 para analista tributário.

Em resposta ao JC Concursos, a coordenadoria de gestão de pessoas (Cogep) da Receita Federal havia informado que as oportunidades solicitadas ao MPOG refletem a necessidade do órgão, porém não se sabe quantas postos podem de fato serem autorizados pelo Planejamento.Pedro Delarue, auditor-fiscal da Receita e ex-presidente do Sindifisco Nacional, já tinha declarado que o ministério deveria liberar um número bem menor de vagas, pois o costume é autorizar uma quantidade inferior à solicitada. Prova disso é o que aconteceu no ano de 2014, pois o Planejamento aprovou apenas 278 chances para a função de auditor, sendo que a Receita havia pedido, em 2013, a liberação de 3.000 oportunidades para analista e auditor.

A Assessoria de Imprensa do órgão não confirmou a informação sobre o número total de vagas solicitadas e nem os cargos.

Cargos de nível médio

Pedro Delarue afirmou que a grande carência de pessoal da Receita Federal, atualmente, também está relacionada às carreiras de apoio, que requerem ensino médio completo. Os servidores que exercem tais funções pertencem diretamente ao quadro do Ministério da Fazenda, que depois os redistribui para as unidades da RFB.

No pedido enviado em junho de 2014 ao MPOG, foram solicitadas vagas para as carreiras de analista-tributário e auditor-fiscal, além das voltadas para a área administrativa (assistente e analista).

Certificado de ensino médio é o requisito para disputar a ocupação de assistente administrativo da Receita Federal. O profissional que atua neste emprego recebe R$ 3.756,82 por mês, incluindo o vale-alimentação.

Para concorrer às colocações de analista administrativo é necessário curso superior e o salário vigente para a função corresponde a R$ 4.469,02 com o benefício.

Preparação para o concurso

Por ser um dos concursos mais concorridos do Brasil, quem deseja conquistar um posto na RFB deve iniciar os estudos com antecedência. Segundo Delarue, “as provas são disputadíssimas e as pessoas que estão estudando estão super preparadas, então, é necessário estudar bastante, já que há uma grande variedade de temas”. Uma opção para se preparar para a seleção é analisar o conteúdo programático e as avaliações dos processos seletivos anteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.